Unidade Hospitalar +55 19 3519-3829
Unidade Ambulatorial +55 19 3733-1111

 

Viva com saúde

Entenda a relação entre circunferência abdominal e risco cardiovascular

Não é novidade que o excesso de peso e a obesidade são fatores de risco para uma série de doenças. A quantidade de gordura acumulada no abdômen, avaliada através da medida da circunferência abdominal, é um importante fator de risco para doenças crônicas do coração, além de hipertensão, diabetes tipo II, vários tipos de cânceres, trombose, entre outras.

A concentração de gordura abdominal contém células capazes de produzir substancias altamente inflamatórias, que se alojam muito facilmente na parede dos vasos sanguíneos, formando placas de gordura. Essas placas obstruem a passagem do sangue, podendo ocasionar infartos e derrames.
Pessoas obesas ou com sobrepeso, ainda que não apresentem problemas metabólicos aparentes, como diabetes e colesterol alto, possuem maior risco de morte prematura causada por problemas súbitos, como infarto, quando comparados aos que estão dentro do peso ideal.
A medição da circunferência abdominal é feita com uma simples fita métrica. A cintura, na altura do umbigo, deve ser enlaçada pela fita alinhada horizontalmente, logo após o indivíduo respirar fundo e soltar o ar. Dessa forma, a medida da circunferência da cintura não deve ultrapassar 80 cm nas mulheres e 94 cm nos homens. Caso apresentem medidas superiores a essas, os indivíduos podem ter mais riscos de desenvolver doenças cardiovasculares.
É necessário ter consciência dos riscos que a obesidade e o sobrepeso trazem à saúde.

Manter uma alimentação saudável e equilibrada associada à prática de exercícios físicos são cuidados fundamentais para diminuir o sobrepeso ou acabar com o aumento da obesidade, e consequentemente, com o risco de desenvolver doenças cardiovasculares.

 

Dr. Frederico Ligeiro Medeiros
CRM 165.986

Cardiologista Intervencionista pela Unicamp;
Pós-graduação em Nutrologia pela ABRAN.